terça-feira, 21 de junho de 2011

SÉRIE HISTÓRIA CRISTÃ: KEITH GREEN


Dizem por aí que nada é por acaso ou mera coincidência. As Escrituras Cristãs também afirmam que tudo coopera para o bem dos que amam a Deus (Rom. 8:28) – Digo isso porque conheci somente nesses dias a vida de Keith Green, apesar de uma pequena parte da sua obra já me ser conhecida desde os primeiros anos de Fé cristã. Qual cristão de quinze anos atrás que não lembra do Marquinhos Góes cantando “Senhor, formoso és, Tua face eu quero ver, pois quando estás neste lugar, Tua Graça invade-me” – canção entoada constantemente até hoje em cultos, vigílias e reuniões de oração. Certa vez, durante um evento, ouvi a versão original em inglês e, pesquisando, concluí que era cantada pelo Jesus Culture, grupo americano que me tocou profundamente em sua ministração (e olha que hoje em dia são raríssimos os grupos musicais cristãos nos quais sinto, de fato, sinceridade em seus cânticos!). Voltando ao Jesus Culture, descobri que o hino Oh Lord, You’re Beautiful foi composto por Keith Green, um jovem que poderia ter se tornado um grande popstar, mas quis o Senhor fazer dele um dos mais marcantes cristãos da sua geração que, diferentemente de hoje, chegava a realizar grandiosos concertos musicais sem cobrar absolutamente nada ao público. Ainda agora, escrevendo essas linhas, não compreendi por que um personagem como ele é quase totalmente desconhecido da igreja brasileira. Esse foi um dos motivos que me levaram a reunir textos, fotos e vídeos para elaborar essa grande postagem, além das profundas reflexões e ânsias espirituais que esse testemunho tem provocado até agora em mim. Depois que li a história da vida de Keith Green, senti constrangimento em me confessar como cristão – estou convicto de que pouquíssimos na nossa geração podem assim serem chamados. Keith viveu somente vinte e oito anos, morreu muito cedo, mas cerca de oito anos de conversão foram suficientes pra marcar para sempre a sua geração e as das décadas seguintes, chegando até nós, com o seu profundo amor pelo Senhor Jesus e pela evangelização. Com uma acurada pesquisa levantada nos mais variados sites e blogs, compreenda agora porque escrevo com tanta emoção sobre Keith Green!




KEITH GREEN
Um músico cristão para todas as gerações

Nunca um cantor desafiou tantas pessoas a se tornarem missionários e a viverem uma vida santa diante de Deus e do mundo. Esta é uma pequena biografia deste profeta e músico para desafiar aqueles que desejam fazer música para Deus nesta geração.

Keith Gordon Green nasceu em 21 de Outubro de 1953, em Sheepshead Bay, Nova York, vindo de uma família de artistas. Aprendeu a tocar seu primeiro instrumento musical, um ukulele, algo semelhante ao violão, com apenas três anos de idade. Keith começou a tocar piano com cinco anos de idade e a compor aos oito anos. Compunha, interpretava e tocava piano, guitarra, contrabaixo e percussão. Seus talentos foram observados por grandes programas e jornais americanos da época, como Arthur Laurents e o Los Angeles Times. Em Fevereiro de 1965, contando apenas com doze anos de idade, já dispunha de quarenta canções originais sob sua carreira. Lançou nesse ano seu primeiro disco “Cheese And Crackers” pela Decca Records, uma das maiores gravadoras do mundo, comprada depois pela Polygram e que tinha nomes como Louis Armstrong, Elvis Presley, Rolling Stones e George Harrison. Com este disco, Keith tornou-se o mais jovem membro da Sociedade Americana de Autores, Compositores e Publicadores (ASCAP). A Decca Records havia planejado fazer de Green um ídolo 'teen', recebendo regularmente os jovens pré-adolescentes em shows populares de televisão. Com o passar dos anos, a fama prematura do garoto Keith Green se dissolveu, apesar dele continuar compondo e aparecendo em algumas apresentações de TV.



CONVERSÃO

A família de Keith seguia um alto padrão moral e ele era um bom garoto. Sendo assim, ninguém sabe o que o levou a fugir de casa em duas ocasiões diferentes – aos 16 e aos 17 anos. É provável que o espírito rebelde que pairava no Sul da Califórnia naquela época o tenha influenciado. Depois de entrar na vida adulta, antes de se tornar um cristão, Keith tinha uma filosofia pessoal que misturava a visão judaica e a Ciência Cristã, mas cresceu lendo o Novo Testamento. Ele chamou o evangelho de “uma estranha combinação” que deixou seu espírito aberto, mas até então ainda profundamente insatisfeito. Seu estilo de vida artístico o levou às drogas. Em sua segunda fuga de casa ele mergulhou no LSD e numa busca profunda por um sentido na vida. Viajou ao Sul da Ásia atrás do misticismo e do “amor livre” que dominaram os anos 60 e 70. Depois de experimentar o que descreveu como uma “bad trip”(má viagem), ele abandonou o consumo de drogas e se tornou avesso à filosofia e a teologia de um modo geral. Green viria a afirmar, no entanto, que, no meio de seu ceticismo, ele sentiu que Deus “furou os calos do seu coração”. Após ter tentado em várias seitas orientais e comunidades hippies, Keith chegou à conclusão de que Jesus deveria ser a verdade. A partir de então ele começou a usar uma cruz de prata que havia comprado por 10 dólares em uma loja de antigüidades.



Em meados de 1973 Keith Green encontrou Melody. Ela também era artista, estava envolvida com drogas e já havia buscado a verdade no budismo e em outros grupos. Eles se casaram no dia 25 de dezembro de 1974 – em homenagem a Jesus – e começaram a compartilhar o sonho de Keith: ser descoberto por um caçador de talentos e tornar-se um artista famoso. Embora estivessem lendo a Bíblia e certos de que Jesus era a verdade, eles ainda não aceitavam o fato de Jesus ser Deus. Além disso continuavam a usar drogas ocasionalmente. Mas através de contatos com artistas cristãos como Randy Stonehill e Larry Norman, Keith e Melody começaram a conhecer alguns cristãos verdadeiros que passaram a ajudá-los na busca por Deus. Foi durante este tempo que ele escreveu canções como “Jericho” e “The Prodigal Son Suite” que se tornariam clássicos da Música Cristã Contemporânea.



Em 1975, após ouvir um sermão na igreja Vineyard Christian Fellowship, Keith e Melody decidiram entregar suas vidas totalmente a Jesus, aceitando-O como Senhor e Salvador, reconhecendo-O como único e verdadeiro Deus. Esta decisão mudou os rumos da vida do jovem casal. Eles passaram a viver em função de anunciar a verdade do Evangelho para seus amigos e a qualquer outra pessoa que encontrassem. Perceberam também que precisavam fazer algo prático para aquelas pessoas que se convertiam, mas que precisavam de um “abrigo cristão” antes de poderem enfrentar o “mundo lá fora”. Logo a casa deles havia se transformado em um abrigo, cheia de novos convertidos, ex-hippies e ex-drogados, mães solteiras e qualquer pessoa que precisasse de um refúgio temporário.

Assim, no mesmo ano o casal Green iniciou um programa de evangelização nos subúrbios de Los Angeles, Califórnia, em San Fernando Valley, fazendo com que rapidamente sua pequena casa no subúrbio ficasse superlotada de prostitutas, tóxico-dependentes e sem-teto que recebiam, além do evangelho, atenção e cuidados. A comunidade de novos crentes foi crescendo rapidamente. Pessoas foram continuamente se posicionando para o batismo e definindo suas vidas para servir o Senhor. Logo tiveram que adquirir uma casa vizinha à sua própria e alugaram mais cinco no mesmo bairro, para grande consternação dos seus vizinhos.

MINISTÉRIO

O ministério de Keith Green foi largamente influenciado por um grande pregador da época, Leonard Ravenhill, que possui um de seus livros publicados aqui no Brasil chamado, “Por que Tarda o Pleno Avivamento?”. Ravenhill apontou para Keith, Charles Finney, um reavivalista pregador do século XIX que pregou a lei de Deus provocando convicção de pecado em seus ouvintes. Durante seus concertos, muitas vezes ele exortava seus ouvintes a se arrependerem e a empenharem-se mais inteiramente a seguir Cristo.

Após sua conversão Keith decidiu não fazer nenhuma performance pública até ter certeza de que essa era a vontade de Deus para sua vida. Ele continuou compondo e tocando, mas para si somente. Sua fonte de renda nesta época vinha de um contrato de compositor que ele tinha com a CBS. Em 1976 Green trabalhou no álbum Firewind (1976) com cantores cristãos como Terry Talbot, John Talbot, e Barry McGuire. Em meados de 1977 o disco “For Him Who Have Ears to Hear” (Para Quem Tem Ouvidos Para Ouvir) chegou às livrarias cristãs. Este disco tornou-se o maior álbum de estréia na história da música cristã, com mais de 300 mil cópias vendidas, algo extraordinário para a época e alcançou o topo do sucesso nas rádios cristãs americanas. O resultado foi que, de um artista totalmente desconhecido, Keith Green logo tornou-se um dos mais populares e procurados cantores do cenário da música cristã. No ano seguinte, Keith Green gravou “No Compromise” (1978).



Ainda em 1978, Keith e Melody decidiram fundar o Last Days Ministries (Ministério dos Últimos Dias), como um meio de manter contato com seus fãs e difundir suas idéias e conceitos cristãos. Começaram então a publicar um periódico chamado “Last Days Newsletter”; inicialmente impresso em poucas páginas em papel solto, o boletim informativo cresceu em termos de conteúdo e, posteriormente, se tornou em uma revista impressa em cores, e foi renomeada em meados de 1985, como “Last Days Magazine”. A revista caracterizava-se por matérias de Green e sua esposa, assim como de homens consagrados na fé como os pastores David Wilkerson, Leonard Ravenhill e Winkie Pratney, todos com uma mesma visão. Mais tarde a publicação também incluiu a reimpressão das obras de autores clássicos, como os cristãos Charles Finney, John Wesley, William Booth e sua esposa Catherine. A maioria dos artigos foram reimpressos como folhetos em 50 idiomas diferentes. No auge da sua popularidade a revista foi enviada em mais de 16 milhões de cópias ao redor do mundo. Em 1979 o ministério se mudou do bairro de San Fernando Valley, na California, para um rancho de 40 acres (160 000 m²) em Lindale, Texas. Dentro de alguns anos, o ministério compraria terras adicionais, elevando o total para 140 acres. Graças a este ministério, a mensagem de Keith Green continuou sendo distribuída através de folhetos e livros mesmo depois de sua morte.



Em 1979, depois de negociar o encerramento de seu contrato com a produtora Sparrow, Green sentiu-se direcionado por Deus a não mais cobrar dinheiro por suas apresentações e seus discos e lançou a política do “pague o que puder”. Keith e Melody hipotecaram sua casa para financiar pessoalmente o próximo álbum, “So You Wanna Go Back To Egypt”, lançado em 1980, que incluiu uma participação especial do cantor Bob Dylan, que na época vivia sua fase cristã. O disco foi oferecido através do correio e nos shows pelo valor que cada pessoa decidisse pagar, se quisesse pagar. Em Maio de 1982, Green tinha enviado mais de 200.000 unidades de seu álbum via correio. Desses, por 61.000 ele não recebeu nada, foram todos gratuitos. Posteriormente ele lançou “Keith Green Collection” (1981), uma coletânea com alguns de seus maiores sucessos e outras canções inéditas, seguido do álbum “Songs For The Shepherd” (1982). Quando sua música era enviada para as livrarias evangélicas, um segundo cassete era incluído de forma gratuita para todos os cassetes comprados, para serem dados de presente a um amigo para ajudar a difundir o Evangelho. Ou seja, o lucro era zero. Posteriormente a política do "pague o que puder" foi estendida a todos os seus outros álbuns e materiais produzidos pelo seu ministério.



Keith Green era então o maior nome da Música Cristã Contemporânea americana. Mas apesar de amar a música e compor com uma tamanha flexibilidade e facilidade, Keith estava tremendamente preocupado com o conteúdo espiritual de suas canções. E estava igualmente preocupado com a condição espiritual de seus ouvintes. Por este motivo, seus concertos começaram a tomar um rumo cada vez mais de ministração através da música e da pregação da Palavra do que um mero entretenimento. De fato, Keith Green odiava a idéia de “entretenimento cristão”.



O escritor Leornardo Ravenhill diz o seguinte acerca de Keith:
“Keith tinha fome por conhecer aqueles heróis que moveram suas gerações para Deus e ele seguia seus passos. Ele tinha um zelo santo e uma pureza que eu tenho visto em poucas pessoas. Eu não acho que Keith estava preocupado com o Evangelho de Cristo o tanto quanto ele estava preocupado com a pessoa de Cristo. Eu acho que era esta sua maior paixão. (…) E ele derramava esta paixão do interior de sua alma através das letras vibrantes de suas canções.



Após o lançamento em 1982 do disco “Songs For the Shepherd”, Keith e Melody decidiram fazer uma viagem de férias pela Europa visitando várias bases missionárias da JOCUM (Jovens com Uma Missão). Na ocasião eles visitaram o navio Anastasis na Grécia, que havia sido adquirido pela missão e estava sendo reformado para o ministério. Keith ficou empolgado com o que viu. Ao retornar para os Estados Unidos ele começou a pensar seriamente em dedicar sua música e ministério para o despertamento de jovens para missões. Seu sonho era ver 100 mil jovens indo para o campo missionário. Algumas de suas novas canções como “Open Your Eyes” (Abra seus olhos) e “Jesus Commands Us to Go” (Jesus nos manda ir) começavam a refletir este desejo.



No dia 28 de julho de 1982, Keith estava em seu rancho e sede do LDM no Texas quando decidiu levar uma família de missionários que estavam visitando-o, para uma vista aérea do local. Doze pessoas decolaram no pequeno avião Cessna 414 naquela tarde quente de verão para aterrizarem na eternidade. Keith e mais os outros onze passageiros faleceram quando o avião alugado pelo ministério caiu após decolar da pista privada na sede da missão. Além do piloto, da família de missionários e de Keith, seus dois filhos mais velhos, Josiah de três anos e Bethany de dois, também morreram. A notícia do desastre foi um choque para a comunidade cristã. Dez dias após o trágico acidente que tirou a vida de Keith Green, o navio Anastasis ancorou em um porto na Califórnia em sua primeira viagem. Keith estava tão entusiasmado com a visão que havia enviado 28 mil dólares para cobrir as despesas da viagem de seis dias e a taxa da travessia pelo Canal do Panamá. Ele havia planejado estar lá para saudar a chegada do navio. Não pode ir. Mas quando o Anastasis atracou nas docas, o sistema de som local tocava “Santo, Santo, Santo…”. Sua voz podia ser ouvida adorando aquele a quem ele tanto amava e na presença de quem agora estava.



Após a morte de Keith, Melody Green organizou um Concerto Memorial que foi levado a diversas cidades americanas. Como resultado deste, milhares de jovens se envolveram com programas missionários através de organizações como Jovens Com Uma Missão (JOCUM) e Operação Mobilização (OM). Em 1989, Melody lançou “No Compromise”, um livro vibrante com a história da vida de Keith Green. Três anos depois, por ocasião dos dez anos de sua morte, um grupo de artistas cristãos famosos como Petra, Margaret Becker, Russ Taff e outros, reuniu-se em uma coletânea com algumas de suas músicas mais conhecidas. Desta forma a música de Keith Green continuou a ser ouvida pela geração mais jovem da Música Cristã Contemporânea. Em 27 de novembro de 2001, Keith Green foi introduzido no hall da fama da música Gospel americana.


Keith Green ministrando e cantando
Oh Lord, You’re Beautiful


Green não se via como um “artista” por profissão, e demonstrou um desapego material raro de se encontrar nos dias atuais. Ele não se isolava no palco nem transformava isso em meio de vida, ao contrário, arregaçava as mangas, saía dos holofotes e procurava sempre uma proximidade com seu público. Que o exemplo de compromisso com Deus e com a santidade deixado por Keith Green possa ser um desafio a todos nós chamados para brilhar como astros no meio de uma geração corrompida e perversa.


“Oh Lord, You’re Beautiful”
Uma das mais marcantes canções de Keith Green:


Oh Lord, you're beautiful.
Senhor, tu és lindo.
Your face is all I seek.
Tua face é tudo o que eu mais quero.
For when your eyes are on this child,
Pois quando os teus olhos estão sobre o Teu filho,
Your grace abounds to me.
Tua é graça é derramada sobre mim.

Oh Lord, please light the fire,
Senhor, acenda essa chama
That once burned bright and clear.
que uma vez brilhou claro e bem forte
Replace the lamp of my first love,
Renova em mim o meu primeiro amor
That burns with Holy fear.
Com o Teu santo temor

I want to take your word and shine it all around.
Quero levar tua palavra a todas as nações
But first help me to just, live it Lord.
mas primeiramente ajuda-me a vivê-la
And when I'm doing well, help me to never seek a crown.
E quando eu a viver, ajuda-me a não buscar louvor
For my reward is giving glory to you.
Pois o meu louvor é te dar glória Senhor.


Jesus Culture interpretando a canção
(amplie a tela para melhor visualizar a legenda)




Versão em português de Marquinhos Góes



Keith Green interpretando
Asleep in the Light (Jazendo na Luz)




Your Love Broke Through (Seu Amor Rompeu) é
outra canção muito conhecida de Keith

Like a foolish dreamer, trying to build a highway to the sky
Como um tolo sonhador, tentando construir uma estrada para o céu
All my hopes would come tumbling down, and I never knew just why
Todas as minhas esperanças vi desmoronarem, e eu nunca soube o porquê
Until today, when you pulled away the clouds that hung like curtains on my eyes
Até hoje, quando você afastou as nuvens que estavam como cortinas sobre meus olhos
Well I've been blind all these wasted years and I thought I was so wise
Bem, eu estava cego em todos estes anos desperdiçados pensei que eu era tão sábio
But then you took me by surprise
Mas então você me pegou de surpresa

Like waking up from the longest dream, how real it seemed
Foi como acordar de um sonho longo, que parecia tão real
Until your love broke through
Até Seu amor romper
I've been lost in a fantasy, that blinded me
Eu estava perdido em uma fantasia, que me cegou
Until your love broke through
Até o Seu amor romper

All my life I've been searching for that crazy missing part
Toda a minha vida eu estive procurado por uma parte louca que parecia faltar
And with one touch, you just rolled away the stone that held my heart
E com um toque o Senhor fez rolar a pedra que tapava meu coração
And now I see that the answer was as easy, as just asking you in
E agora eu vejo que a resposta era tão fácil, era apenas perguntar-lhe
And I am so sure I could never doubt your gentle touch again
E eu estou tão certo que eu nunca mais deveria duvidar do Seu toque
It's like the power of the wind
É como o poder do vento

Like waking up from the longest dream, how real it seemed
Foi como acordar de um sonho longo, que parecia tão real
Until your love broke through
Até Seu amor romper
I've been lost in a fantasy, that blinded me
Eu estava perdido em uma fantasia, que me cegou
Until your love, until your love, broke through
Até o Seu amor, até o Seu amor, romper


Open Your Eyes (Abra Seus Olhos)
Um clássico escrito por Melody Green, um chamado às Missões

O evangelista Ian Robertson escreveu uma reflexão profunda sobre a vida de Keith Green:

“Recentemente assisti a um DVD, que estava parado em nossa casa por um bom tempo. Normalmente não tenho tempo para assistir a vídeos ou DVDs, todavia decidi assistir este antes de ir dormir. Era um documentário acerca da vida curta de Keith Green (21 de Outubro de 1953 – 28 de Julho de 1982) que morreu num acidente de avião junto com dois de seus filhos, aos 28 anos de idade. Só tinha se tornado um cristão no início da década dos seus 20 anos, depois de anos de procura espiritual. Era um cantor e compositor que entregou a sua vida e talentos para Cristo. Enquanto assisti a este documentário da sua vida dedicada, O Senhor Jesus realmente desafiou e sondou o meu coração. Perguntei a mim mesmo no coração. Perguntei a mim mesmo se eu havia substituído o cristianismo neo-testamentário por:

1- Cristianismo sem Conversão
Já encontrei muitas pessoas que se dizem cristãs, mas nunca houve uma mudança radical nas suas vidas. O cristianismo é radical e revolucionário!! Deve efetuar uma mudança completa na maneira em que vivo. As minhas prioridades devem ser totalmente diferentes das prioridades dos meus vizinhos mundanos. Devo estar olhando e vivendo para um outro mundo. Amigos falaram da mudança completa que ocorreu na vida de Keith quando se tornou um cristão. Que mudança aconteceu na minha vida?

2- Cristianismo sem Compromisso com a Palavra
Até que ponto tenho tido compromisso com a Palavra de Deus? As Escrituras existem não somente para serem lidas e estudadas, mas para serem obedecidas. O que Keith Green viu na Bíblia, obedeceu de todo coração mesmo quando outros crentes pareciam ignorar as suas reivindicações. Procurou agradar somente a Deus. Até que ponto sou comprometido com o Trabalho de Deus? Se o trabalho de Deus fosse depender dos meus esforços até que ponto prosperaria? Keith Green imediatamente sentiu no seu coração a necessidade de servir a Seu Senhor e Mestre.

3- Cristianismo sem Compaixão
Keith Green e a sua jovem esposa Melody imediatamente tiveram um coração misericordioso para com os pobres, solitários, deprimidos e desamparados. Por fim, estavam acomodando mais de 60 pessoas em cinco casas que alugaram levando-os a Cristo e discipulando-os. Como as nossas vidas podem se tornar cheias de nós mesmos a ponto de não termos tempo para ninguém a não ser eu e os meus?!!

4- Cristianismo sem a Cruz
Muitos dos seus cânticos expressaram a sua apreciação para com o trabalho interior da cruz na sua vida pessoal. O Senhor diz: “Se alguém quer vir após mim” (ou seja, à plenitude da vida da ressurreição e poder), “a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me”. Para conhecermos a plenitude da vida precisaríamos conhecer a plenitude da morte. Tudo que pertence à vida-própria deve ser considerado morto antes que a vida de Cristo pode ser vivida em nós. Este aspecto da cruz é muito pouco ensinado entre nós, porém é absolutamente essencial.

5- Cristianismo sem Cristo
É possível vivermos as nossas vidas cristãs sem Cristo??? Major Ian Thomas do Colégio Capernwray disse: “Que diferença faria à sua vida cristã (seu viver do dia-a-dia) se descobrisse que Cristo está morto?” Se Cristo é a minha vida, como Ele deve ser, então caso Ele esteja morto (o que logicamente é uma impossibilidade!!) então eu morro! O viver do cristão verdadeiro deve ser viver por meio dEle – Ele se torna a fonte da minha vida. Para muitos de nós Cristo é apenas um logotipo ou ícone (uma pessoa representativa sem autoridade real), em vez de ser a nossa vida. Mesmo nas ações da igreja local, agimos muitas vezes separados dEle. Oramos e depois fazemos o que nós queremos fazer na nossa própria força e logo em seguida pedimos a Sua benção!!

6- Cristianismo com Compromisso
A biografia de Keith escrita pela sua esposa Melody, que li muitos anos atrás têm como título “Sem Compromisso”. Foi este o lema da vida dele. Porém é tão fácil nos comprometermos com o mundo e seus caminhos. Ao nos comprometermos perdemos nossa qualidade, característica e eficácia.

Qual será o meu LEGADO?
E finalmente, o maior desafio para mim foi este: “O que estou deixando para trás? Logo a minha vida chegará ao seu fim e que herança deixarei? Uma casa e algumas possessões deste mundo para serem divididos entre a minha família; será que é só isso?? Se for só isso então fracassei miseravelmente!!! Que impacto estou tendo na vida dos outros? Que influência para Cristo e para a eternidade? Keith Green viveu menos de oito anos para Cristo, todavia a sua influência vive ainda hoje na vida de outros!! Espero que os pensamentos acima sejam um desafio aos seus corações como os foram ao meu!”

Ian Robertson
(Ian Robertson é um evangelista baseado em Auchinleck, Escócia. Além de viajar muito dentro do Reino Unido, também tem trabalhado na Romênia)

Documentário sobre a vida e obra de Keith Green:






Algumas frases de Keith Green:

"Ir à igreja não faz de você um cristão, como ir ao McDonalds não faz de você um hamburguer!"

"É hora de parar de brincar de igreja e começar a ser Igreja"

"Cristo morreu de braços abertos, será que podemos viver uma vida espiritual de braços cruzados?"

"Se o seu coração tem mais prazer em ler romances, ou assistindo TV, ou indo ao cinema, ou conversando com amigos, ao invés de apenas ficar sentado sozinho com Deus e abraçando-o, compartilhando suas preocupações e seus encargos, chorando e se alegrando com Ele, então como você vai lidar com toda a eternidade em Sua presença!? Você ficaria entediado até às lágrimas no céu, se você não está extasiado com Deus agora!"



FONTES - Essa postagem foi organizada com diversas informações adquiridas através das publicações de Sandro Baggio, Ian Robertson, Wikipédia, dentre outros:

www.keithgreen.com (Site Oficial de Keith Green)
www.lastdaysministries.org (Ministério dos Últimos Dias)
www.sandrobaggio.com/2010/07/28/relembrando-keith-green
http://pt.wikipedia.org/wiki/Keith_Green
http://jezer.wordpress.com/2010/03/25/quem-foi-keith-green/
www.liriodovale.com/Portuguese/biografia/Keith_Green.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Keith_Green


15 comentários:

BenneDen disse...

Eu achei o post excelente e fiquei impressionado com a vida de Keith Green.
"...diferentemente de hoje, chegava a realizar grandiosos concertos musicais sem cobrar absolutamente nada ao público".

Parabéns!Continue reavivando a história de homens e mulheres de Deus, a fim de que nossas consciências não sejam banalizadas
pelo o esquecimento de fatos tão relevantes.
"...não compreendi por que um personagem como ele é quase totalmente desconhecido da igreja brasileira".

Lu Albano disse...

Oito anos apenas e um legado que permanece por décadas...fiquei a pensar sobre minha vida cristã...pessoas como Keith Green são verdadeiros refenciais do cristianismo.

Adson Lins Santos disse...

Meu irmão quero lhe parabenizar pelo excelente trabalho nesta publicação! O Senhor te abençoe e te guarde! Tomei a liberdade de postar um trecho no blog Vento Norte. (www.ventonorteamapa.blogspot.com)

Crisgeiger disse...

Ótimo trabalho irmão! Eu coloquei o link desta mágina em meu blog para vusialização e para seus créditos também... https://oliveiraverdejante.blogspot.com Abraços

Masterloads disse...

Meu amado muito obrigado pela linda história! Com certeza se mais pessoas divulgasse essa história, muitos jovens tomariam decisões para Cristo e por amor de Cristo, se preocupando menos com dinheiro e se doariam melhor... Espero ter a coragem que ele teve e que venha gastar minha mocidade em prol do reino do Amado de nossas almas. Me emocionei bastante com essa linda história, ele se foi com apenas 28 anos de vida, mas sua história marcou uma geração para sempre e com certeza você através do testemunho dele está transformando mais uma geração e eu quero fazer parte dessa geração que coloca Deus sobre tudo. Deus continue te abençoando e a fazer próspero o trabalho de tuas mãos.

Keila Sant Angelo disse...

Parabéns pelo post.
Não acredito que tive conhecimento do Keith Green ontem. rsrs

Me emocionei muito... Como Deus age de um modo totalmente Maravilhoso quando entregamos por completo nossas vidas à Ele. Que Ele nos ajude sermos completamente dEle.

Parabéns pelo blog!

Fique com Deus!!!

http://igrejacasadosenhor.blogspot.com.br/

Keila Sant Angelo disse...

Inclusive, já estou seguindo seu blog!

PALAVRA INTEIRA disse...

Tremendamente maravilhoso. Se tivermos a disposição e intensidade de servir a Cristo como o Keith teve alcançaremos o mundo para Jesus mais rapido e mais rapido estaremos com o Pai e com ele.
"...e já não era, porque Deus o tomou para si." (Gn 5.24)

Felipe Alves Davi disse...

Show de bola!
Posso postar em meu blog, com as devidas referências?!
Parabéns pela postagem!

Arnaldo disse...

Grato pela sua contribuição com a igreja cristã, relembrando a história de alguém que serviu seu Senhor com paixão. Guardo com muito carinho 3 LPs do K. Green recebidos pelo correio, gratuitamente, no final da década de 70, eles ainda abençoam minha vida. Que o Senhor Jesus seja louvado em tudo. A. Santos

Anônimo disse...

Gostei muito da Historia de Keith Green não conhecia apesar d cantar algumas vezes sua musica (Formoso es) ele é uma inpiração p mim vou pesquisar mais e contar sua histoa p quem ainda não o conhece

Jonnys Atilla disse...

Parabéns pela postagem meu irmão, me emocionei com a história desse homem de Deus, que eu possa ser mais parecido com Cristo do que estou sendo agora!

luciano santos disse...

Muito bom, uma vida que deixou um legado maior que gente que é crente a 40 anos, linda história em Deus, faz repensar que tipo de cristãos estamos sendo!

Andressa Baumgartner disse...

Muito bom... Glória a Deus

Le disse...

Alguém conhece uma versão em português para "There is my Redeemer"?